Propaganda topo

Vandalismo compromete o abastecimento no município de Pombos

Um ato de vandalismo comprometeu significativamente o fornecimento de água do município de Pombos, neste último fim de semana. A Compesa precisou realizar o conserto emergencial na adutora que abastece o município, após identificar um vazamento causado por golpes de picareta na tubulação. Foi a segunda vez em uma semana que a Companhia precisou intervir emergencialmente para não sacrificar à população que já segue um calendário rigoroso de abastecimento, devido à falta de chuvas na região.

Na terça-feira (28), a Compesa já havia realizado um conserto em outro ponto de estouramento da adutora para melhorar a vazão na Estação de Tratamento de Água (ETA). No mesmo dia, a Companhia precisou do apoio da Polícia Militar em uma ação para fiscalizar uma área identificada no município como ponto de furto de água. Agricultores da região e populares utilizaram caminhões para bloquear a passagem e impedir a medida. A Compesa registou boletim de ocorrência e estuda as vias judicias para solucionar a irregularidade.

De acordo com o Gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Stive Falcão, os furtos de água são crimes contra a população. “Lamentamos atos como esses, principalmente em uma área que já é por natureza prejudicada pela estiagem. Os furtos atingem toda a população e comprometem ainda mais o abastecimento”, argumenta Falcão.

CALENDÁRIO - O manancial Banho da Negra, que a abastece a cidade de Pombos, é um dos mais afetados pela falta de chuvas no Estado. Em virtude da redução do nível, a Compesa precisou alterar o calendário da cidade. Em janeiro, o abastecimento passou para quatro dias com água e 15 dias sem. Desta forma, preservando o manancial, a Compesa tem a expectativa de conseguir atender a população com o volume disponível até o próximo inverno, quando Banho da Negra deverá voltar a acumular água.

Postar um comentário

0 Comentários