Propaganda topo

Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho é alvo de operação da PF por fraudes em compras sem licitação para o combate a Covid-19

Foto: TV Globo

A Polícia Federal (PF) desencadeou, nesta terça-feira (16), duas operações para investigar contratações diretas emergenciais de empresas ou sem licitação para a compra de materiais médico-hospitalares para o enfrentamento ao novo coronavírus por prefeituras. Foram apreendidos documentos nas sedes dos municípios e dinheiro na casa de suspeitos, segundo a PF. 

A Polícia Federal (PF) desencadeou, nesta terça-feira (16), duas operações para investigar contratações diretas emergenciais de empresas ou sem licitação para a compra de materiais médico-hospitalares para o enfrentamento ao novo coronavírus por prefeituras. Foram apreendidos documentos nas sedes dos municípios e dinheiro na casa de suspeitos, segundo a PF. 

Prefeito Lula Cabral. Foto: Divulgação


Ambas as investigações foram iniciadas após ofício enviado pela Controladoria-Geral da União (CGU). Segundo o Ministério Público Federal, as empresas investigadas firmaram contratos com as prefeituras do Recife, Cabo de Santo Agostinho, Olinda e Paulista. 

São alvos da investigação contratos das Prefeituras de Recife (R$ 7,5 milhões de sobrepreço no contrato), Olinda (R$ 600 mil), Paulista (44 mil) e Cabo de Santo Agostinho (R$ 600 mil) com a empresa AJS.

Postar um comentário

0 Comentários